Calendário Vacinal

Artigo sobre Caxumba – Dra. Thatiane Mahet


Caxumba

A caxumba é uma doença viral, ou seja, é causada por um vírus chamada Paramyxoviridae. O nome é feio, mas a doença é conhecida a muito tempo e a maioria das vezes autolimitada. O número de casos de caxumba era muito alto há 50 anos, porém quando todas as crianças iniciaram a vacinação em massa no Brasil estes casos se tornaram quase nulos. Porém, foram notificados alguns casos no Brasil, especificamente no Rio de Janeiro. Vamos conhecer um pouquinho mais sobre a doença.

Como meu filho pega a caxumba?

A caxumba é transmitida de pessoa para pessoa, através das gotículas de saliva e respiratória. Ou seja, uma pessoa que pegou a caxumba irá transmitir para a outra. Sabe qual o maior problema? Que a pessoa transmite muitas vezes sem saber que tem a doença e principalmente 1-2 dias antes de apresentar os primeiros sintomas da doença. Transmitindo-a por volta de 5 dias. Se seu filho apresenta os sintomas deverá ficar em isolamento (sem ir a escola ou sair de casa) por volta de 1 semana. A caxumba ocorre mais no período do inverno e inicio da primavera de junho a setembro, quando as pessoas ficam por mais tempo em ambientes fechados.

O que meu filho pode apresentar?

Geralmente, os sintomas se apresentam 15 dias após o contato com o vírus, chama-se este período de “período de incubação”. A criança começa a apresentar febre, dor de cabeça e vômitos. O principal sintoma que chama atenção para os médicos é o aumento de uma glândula que existe no pescoço chamando parótida. Ela inflama aumentando de tamanho e as mães notam um aumento do pescoço. Assim que notar este aumento do pescoço, a mãe deve procurar imediatamente uma unidade de saúde, seja seu pediatra ou uma emergência.

E ele pode complicar?

Infelizmente pode. Apesar de rara, ela pode complicar com infecção no sistema nervoso central (meningite), inflamação no coração (miocardite), nas gônadas principalmente masculinas, nas juntas (artrite) e no pâncreas (pancreatite). Mas fique calma, mesmo que tenha alguma complicação, a chance de uma boa evolução é muito alta, raramente evoluindo para uma coisa mais grave.

E como se tem certeza que é caxumba

Inúmeras outras viroses podem confundir-se com a caxumba. Existem outros vírus que podem causar aumento das parótidas e sintomas semelhantes à caxumba, até mesmo o vírus da gripe. Então mesmo que você observe o aumento do tamanho do pescoço, fique calma a maior chance atual é que não seja caxumba.

Para ter certeza é necessário que se faça um exame de sangue chamado sorologia, onde se procurará anticorpos para o vírus. Geralmente a positividade do exame pode demorar até 1 semana para aparecer.

E como se trata?

Como se trata de um vírus, não existe um antibiótico capaz de trata-lo.  Os próprios anticorpos do organismo da criança irão combater. Os pais devem apenas cuidar dos sintomas (febre e vômitos), deixa-lo em repouso e hidratar bastante (oferecer muita água)

Prevenção

É o principal, existe vacina para caxumba. Ela está disponível em toda a rede de saúde pública. Chama-se tríplice viral ou tetra-viral, realizada junta com sarampo, rubéola e mais atualmente a varicela (catapora). Ela é realizado em todas as crianças com 1 ano de idade e uma segunda dose com 15 meses. Com isso, a chance de se pegar a caxumba é menor do que 5%.

Se em sua região houve casos de caxumba comprovada, seu pediatra pode solicitar um exame para averiguar se seu filho reagiu à vacina.

 

Dra. Thatiane Mahet

Médica-pediatra, alergista e imunologista