Gravidez e parto

Dicas

Prematuridade – causas principais


rec_20150106165041

Pesquisas atuais mostram que 11,7% dos bebês nascem prematuros no Brasil, o que nos coloca entre os dez países do mundo em que isso é mais frequente. A prematuridade é um grave problema em nosso meio, e apesar de atualmente existirem tratamentos neonatais muito eficientes (temos bebês prematuros que nasceram com 400g), o bebê prematuro pode ter problemas graves que impeçam seu desenvolvimento ou sequelas para sua vida.

As causas mais comuns de prematuridade são causas maternas. Infecção urinária, pressão alta, descolamento prematura de placenta, diabetes, alterações de tireóide, infecções congênitas (toxoplasmose, citomegalovírus, sífilis, HIV) uso de bebidas alcoolicas e drogas ilícitas estão entre as causas comuns de prematuridade. O bebê também pode apresentar causas que levem a prematuridade como síndrome genética e má formações.

Um acompanhamento pré-natal adequado com no mínimo 7 consultas, ultrassom e avaliação periódica do sangue são indispensáveis para uma gravidez sem intercorrência. Alguns desses problemas relatados podem ser tratados, não afetando o bebê e evitando a prematuridade.

As consequências da prematuridade são inúmeras, entre elas, o baixo peso ao nascer que impede em muitas vezes a alta hospitalar, problemas respiratórios, problemas oculares, entre outros. Atualmente existem inúmeros tratamentos que visam um bom acompanhamento destes bebês prematuros, principalmente em grandes centros urbanos com UTIs neonatais especializadas neste tipo de bebês, o que aumenta a sobrevida, diminuindo a mortalidades e sequelas posteriores.


Autor: Thatiane Mahet